Muralha da China (Badalling) e Túmulos Ming

Analisando em retrospectiva a visita que fizémos neste dia, chegamos à conclusão que nos deveríamos ter deslocado por nossa conta, em vez de comprar uma tour organizada. A guia mal falava inglês, passava a vida ao telemóvel e nós passamos, no total, cerca de 4 horas em "shopping time"! Ainda por cima, inicialmente, não nos queriam levar à secção (da muralha) de Badaling mas a outra. Tivémos de fincar o pé, juntamente com um casal espanhol, e lá retomamos o caminho.
O primeiro local que visitámos (shops à parte!) foi o túmulo de um dos imperadores da dinastia Ming. Vimos no guia que existiam 2 outros túmulos mais interessantes, um porque tinha uma colecção de estátuas e obras de arte invejável e o outro porque a própria sala tumular estava aberta ao público. Não fomos visitar nenhum destes "para evitar confusões", disse-nos a nossa guia!
Naquele que fomos visitar, destacam-se o plano de organização do conjunto, consistindo numa série de templos, portas e pontes (que o defunto deveria atravessar) culminando no túmulo propriamente dito, neste caso ainda inviolado(!) e portanto vedado no subterrâneo, coberto por uma grande colina circular rodeada de um alto muro. Fiquei um pouco com a sensação que aquilo era tudo reconstruído e para turista ver...

Depois de almoço (chinês!) dirigimo-nos à grande muralha. A expectativa era muita... Afinal é uma das maravilhas do mundo! Para não quebrar a tradição do dia, acabou por ser, de certa forma, uma desilusão. Visitámos um curto troço da muralha, apinhado de turistas, de tal forma que era difícil tirar fotos! Além disso, o tempo nublado não ajudou e só se conseguiu ter um vislumbre da grandeza desta obra, serpenteando pelas montanhas. Felizmente, ainda teríamos outro dia na muralha, que compensaria este e nos permitiria disfrutar verdadeiramente desta maravilha do mundo.

Etiquetas: