Grutas budistas

Uma das manifestações mais epectaculares do budismo em solo chinês são as grutas talhadas em paredes de desfiladeiros, com influência indiana, particularmente nas grutas de Ajanta e Ellora. Visitámos 2 conjuntos de grutas.
Grutas de Yungang
Estas situam-se perto de Datong (antiga capital imperial), datam do séc. V d.C. e constituem um conjunto assombroso de mais de 50000 estátuas talhadas na rocha, variando em tamanho entre alguns centímetros e mais de 20m de altura, distribuídas por mais de 20 grutas. Apesar de algumas (poucas) estátuas estarem danificadas pela mão do Homem e pela Natureza, a verdade é que o estado de conservação é surpreendentemente bom. Além do buda do presente, Sakyamuni, a outra figura mais representada é a do buda vindouro, Maitreya.
Em algumas das grutas é ainda possível ver estátuas com pigmentos coloridos, o que dá para ter uma ideia da beleza maravilhosa que este conjunto deveria ter no auge da sua existência.
Sinal dos tempos modernos, e principalmente da China dos nossos dias, mesmo encostado às grutas (e quando digo encostado, não estou a exagerar!) faz-se extracção de pedra, com uma confusão de máquinas, pessoas e barulho ensurdecedor. Conseguirão as grutas sobreviver ao crescimento económico da China moderna?... Esperemos que sim!
Grutas de Longmen


Estas grutas foram mandadas erigir pelos mesmos soberanos criadores das grutas de Yungang, após transferirem a sua capital de Datong para Luoyang, cidade a partir da qual se pode aceder rapidamente às grutas.

Num total de cerca de 2000 grutas ou nichos ao longo de 1km em ambas as margens do rio Yi, é um conjunto impressionante, mais que não fosse pela paisagem envolvente. Mas o elevado número de estátuas decapitadas, ou completamente destruídas, é enorme e retira um pouco da beleza do conjunto.
É, no entanto, de destacar a gruta principal, onde estão situadas algumas estátuas colossais, sendo a minha preferida a de um rei celestial que esmaga um demónio com os pés. Fenomenal!

Nota de rodapé: estas grutas (tais como as de Yungang) são património cultural da Unesco e os chineses não deixam de se aproveitar desse estatuto... Preço de entrada: 120 yuan por pessoa, mais de 12 euros!

Etiquetas: