Transiberiano I: Moscovo - Irkutsk








O Transiberiano e uma viagem mitica para todos os amantes de comboios e, mesmo para aqueles afastados destas andancas, e conhecida como a travessia mais longa de comboio do mundo. Na realidade existem 4 linhas diferentes, comecando todas em Moscovo e ramificando-se a partir de determinado ponto. O Transiberiano propriamente dito termina no extremo este da Russia, na cidade de Vladivostok. Como o nosso objectivo e conhecer a Mongolia e China, resolvemos optar pelo chamado Transmongoliano que, depois do lago Baikal, inflecte para Sul atravessando a Mongolia e terminando na capital da China, Beijing.

As expectativas eram muitas antes de embarcarmos. Nesta primeira seccao a viagem seria non-stop entre Moscovo e Irkutsk. Tres dias e quatro noites sem parar, 5185 km de linha ferrea a percorrer na terra cujo nome esta rodeado de mistica: Siberia. Os mais distraidos em questoes de Geografia nao deverao saber que uma area significativa da Russia pertence ao continente europeu. So depois de percorridos 1500 km e chegados a cidade de Yekaterinburg e que entramos realmente na Asia e na Siberia. Nao que em termos de paisagem se note muito. A latitude a que viajamos, nao estamos suficientemente a Norte para vermos tundra nem a Sul para vermos estepes. Por aqui reina a taiga, extensoes enormes de terreno mais ou menos plano coberto de vegetacao nordica composta por pinheiros silvestres, abetos, betulas e pinheiros nordicos. Nesta paisagem surgem ocasionalmente povoados de habitacoes de madeira, tipicas desta regiao, e algumas cidades grandes com edificios de apartamentos ao estilo sovietico. Outro factor humano que se nota sao as diferentes industrias de extraccao, nomeadamente de madeira e carvao. O ritmo de exploracao desta zona e intenso e sinal disso e o facto de que os comboios que passam por nos sao maioritariamente de mercadorias e sao compostos normalmente por cerca de 80 vagoes!
As condicoes dentro do nosso comboio sao surpreendentemente boas. A nossa carruagem tem compartimentos de 4 camas e duas casas-de-banho disponiveis, tudo sempre muito limpo. Partilhamos o nosso compartimento com a Natalia, uma medica russa que viaja para Vladivostok, na companhia do seu filho Kharim. Para quem viaja durante tantos dias de comboio, a companhia mais proxima e um factor essencial na qualidade da viagem e, neste ponto, tivemos muita sorte. Os nossos companheiros sao muito simpaticos e, apesar das diferencas linguisticas, conseguimos estabelecer, com a ajuda do guia de conversacao, uma ligacao afectuosa bastante saudavel. Em particular, a Natalia foi uma ajuda incansavel na melhoria do nosso russo (ainda assim muito rudimentar!).
O ritmo quotidiano passa muito pela observacao da paisagem que desfila perante os nossos olhos e as paragens nas diferentes estacoes ao longo do trajecto. Todas as paragens estao cronometradas, variando entre 2 e 42 minutos. Nunca da para sair da estacao, pois o medo de ficarmos perdidos na Siberia sem mochilas impede-nos de ir muito alem das proximidades do comboio! Ainda assim, e interessante sair para comprar alguns produtos alimentares tipicos da regiao, maioritariamente fritos recheados.

Apesar do inverno rigorosissimo, nesta altura do ano a Siberia tem uma temperatura diurna muito agradavel (rondando os 25 graus) e isso permite-nos andar a vontade. Quando os tres dias passaram, apetecia-nos acompanhar a Natalia e o Kharim ate Vladivostok mas nao podia ser... Saimos em Irkutsk e continuamos a nossa aventura.
Спсибо, Natalia and Kharim!

три дня отлиуно! Было оуень приятно познакомитьсяю.

До свидания!

Etiquetas: ,