Sao Petersburgo, um percurso a beira-rio

Hoje continuamos a nossa ronda pelos principais pontos de interesse desta cidade. De manha, nao nos conseguimos levantar a hora prevista pois estavamos ambos muito cansados do dia anterior, mas tivemos uma agradavel surpresa quando abrimos os olhos: a luz do sol entrava pela janela do nosso quarto! Saimos rapidamente do hostel e passamos por uma livraria onde finalmente encontramos um guia da Russia da Lonely Planet em Ingles. Nao era o mais recente mas ja vai dar para os gastos! Prosseguimos para as margens do rio Neva junto ao chamado palacio de Verao, a antiga residencia de Pedro, o grande, o monarca russo fundador da cidade. Nesta altura, comeco da Primavera, Sao Petersburgo esta na fase de degelo (sem intencao de conotacoes politicas) e o solo dos jardins esta transformado em lamacal. A superficie do rio continua quase inteiramente coberta por uma espessa camada de gelo, o que nos faz pensar no frio que ja se fez sentir por estas bandas! Mas hoje, para os russos, e como se fosse verao e as pessoas saem a rua para passear e no final da tarde ainda vimos alguns velhotes a tomar banho numa piscina aberta no gelo! Impressionante!

Hoje so visitamos um museu e valeu bem a pena. O Museu de Antropologia e Etnografia, o primeiro desta cidade, e uma perola de conhecimento, com tudo o que se possa imaginar sobre povos e culturas do mundo atras das suas vitrinas. Mas o que mais atrai os turistas acidentais e os russos a passear no fim de semana e a seccao dedicada a anatomia. Naquela sala estao reunidos especimes impressionantes de fetos (na maioria humanos) com mal-formacoes dignas de um filme de terror! E capaz de ferir a susceptibilidade de "espectadores" mais sensiveis... Mas nao sao permitidas fotos!

O nosso percurso de hoje foi basicamente circular, junto ao rio, passando pela fortaleza cuja construcao coincide com a fundacao da cidade, e terminando no que e talvez o monumento mais bonito de Sao Petersburgo, a Catedral do Salvador do Sangue Derramado, construida no local onde o czar Alexandre II derramou o seu sangue real quando foi ai assassinado. A beleza desta igreja e tal que sera caso para dizer que ainda bem que alguem se lembrou de matar o mencionado czar, de modo que se construisse um memorial tao magnifico!


Para acabar este comentario, nao posso deixar de mencionar o que hoje mais me impressionou em termos de beleza natural. Nao, nao foram as russas esculturais que pululam pelas ruas da cidade como cogumelos que brotam do chao com o sol da primavera! (Embora, tenho de admitir, parece que a passerelle saiu a rua!) Foi, sim, o rio Neva gelado que me encantou e nao pude deixar de pensar que foi este clima agreste, que congelando um lago a norte da cidade, permitiu ao Exercito Vermelho passar camioes com provisoes para a cidade sitiada, mas nunca conquistada pelos nazis, e contribuir assim para que a beira-rio da cidade continue intacta e sempre a seduzir nacionais e estrangeiros que por aqui passam. E, de certa forma, este e o melhor tributo aqueles muitos que aqui morreram, na sua cidade.

Etiquetas: